Sorry, this entry is only available in European Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

#2 #2 #2 #2 #2

De novo os telhados. Lisboa Modernista.
Sol.
Vento/catavento. O moinho de vento.
Figura mitológica desenha espirais com os braços. Asas ou pseudo-asas.
O avião passa e nós ficamos, mas somos seres extra-terrestres. 
Corpo à transparência. Gola esquisita, transformada mais tarde em pescoço.
Azul claro / amarelo. Amarelos e laranjas pontuais acentuadores de zonas. A luz e a sombra.
Com o tempo, a imagem vai-se focalizando.
Como sempre, a quadrícula. Amianto ou outros materiais de protecção ou revestimento. Cancerígenos?

O vídeo de Marchante recorre à dança ou à expressão corporal dos actores com muita naturalidade e frequência, mas o essencial continua a ser a matéria fílmica muito espessa, qual empaste de tinta de óleo, que introduz a opacidade na transparência da lente e nos transmite uma sensação tão táctil como visual.
É uma sequência estetizante sem dúvida, mas plena de conteúdos simbólicos. Arte na tradição simbolista.

Filipe Rocha da Silva